Destoar: Raul Seixas

by matheuslopers

Um branco, certa vez, me disse que a paz só encontraria em Jesus Cristo
Hoje eu não sei se existo, sobrevivo ou danço valsa com os meus inimigos
E alguns chamo de amigos.
Não sei se transo com garotos, sapos ou esquisitos 
Tenho vontade de dissecar tuas entranhas e gozar a tua vida.

Um padre, certa vez, num grito no meu trabalho, me disse que eu era herege
Que os céus não me pertencem
E que o conhecimento que tenho é presença do inimigo na minha essência
Enquanto ele falava, eu sorria e concordava, contudo só pensava transar com ele sob aquelas bíblias.

Você deve pensar que estou possuído por um demônio
Um guardião selvagem personificado no vermelho 
Deve pensar que é fogo no rabo
(e talvez seja, não nego)
Isso é um texto de transição
É a saída do emocionismo e a entrada do paganismo
Ou bestaismo, budismo e até mesmo o satanismo. 
Isso é o reflexo de um homem de quase vinte anos vivendo nesse sociedade de “ismos”.
Filho da puta sou eu e doente é você, filho de deus.

*Devaneios ao som de Raul Seixas.