Controle remoto

by matheuslopers

Eu sei do peso que carrego nos ombros
Sei da dor que carrego no peito
Sei das lágrimas que derramo antes de dormir
Eu sei das pedras que jogam em mim
E das falácias que me deteriora como o veneno da serpente
Mas, tudo passa.

E todos esse sonhos somente sonhados
E todo essa dor escapada em forma da lágrimas 
Toda essa doença que me faz apodrecer
Vai passar e em algum momento meu sorriso vai reinar.

Não quero ser santo
Não quero o sofrimento de quem me fez sofrer
Não quero esse vendaval em minha plantação
O tempo está em meu favor
Tudo vai embora, um hora
E, prometo, quando a luz do tempo entrar, tudo isso não passará de cicatrizes
Grudada em minha pele
Sinal de minha luta
Solidão
Sofrimento
Benevolência
Resistência
E alegria.
 
E quando a carga for pesada demais para teus ombros
E quando o medo prevalecer sob a vontade de diversão
E quando sua timidez prevalecer sob a alegria
Todos os ‘mais’
As dores
Amores
Tudo isso passará.

Eu sou o vento
E até o céu terá seu momento de sucumbir.