Quarenta anos de algo platônico

by matheuslopers

Eu preciso enxergar sozinho
As luzes já não queimam minhas pupilas
Eu retiro minha fantasia de alegria
Retiro meu disfarce de vencedor
Sou humano sangrando solidão
Sou peregrino bebendo dor.

Perdi minha ambição e encontrei a humanidade
Eu estou queimando para te impressionar
Quanto mais mordo minha língua, mais solto palavras sem pensar
Você é a paixão que sonho no meu futuro
E sou o estranho conhecido que jamais amará.

Depois deste pôr do sol eu posso lhe levar para casa?
No agora de nosso afeto vamos tentar para o tempo.
Eu posso perder meu juízo, mas se você estiver em meu lado tudo estará bem.
Desejando pela verdade
Desejando pelo infinito
Encontrei você.

Venha para minha explosão emocional e permita-me florescer em teu calor.
Prazer, meu nome é Matheus!