Faraó

by matheuslopers

Siga o ritmo do seu coração
Destrua minhas entranhas com este amor
Espalhe meu sangue em toda porta
Avise para todos que o cordeiro voltou

O sarcófago foi aberto e estou despido para o rei
Debruce sua cabeça no rio vermelho
Coloque seu coração em uma bandeja de prata
vou beber teu sangue no cálice
perfurar seus olhos no meu garfo
e derramar metal derretido em sua paixão
Não há perdão para crimes cometidos por ternura

Comece sua reza
Proteja sua alma
Peça ao seu deus
Implore ao seu rei
Beije meus pés por devoção

Debruce sua cabeça no rio
Chupe o sangue dos seus dedos
Nosso amor vai marcar o calendário
Vamos ser lembrados pelo sexo visceral
Pelas mortes na pirâmide
e o odor de amor na escada

Debruce sua cabeça no rio vermelho
Sua hora chegou
Olhe bem para o sol amarelo
Sinta o vento em seu rosto
Teu faraó voltou
Analogia do nada
Falando dos amores estranhos
De uma civilização existente em mim
Dentro de meu âmago.

Antes do meu corpo, coma primeiro meu coração
Debruce sua cabeça no rio
Afogue sua verdades em mim
Sou teu breu de mentiras
Sou teu faraó
Rodeado de borboletas e girassóis
Com as mãos suja de teu sangue
E coroa de margaridas e jasmim.

Fim fofo e com cheiro de morto.