Definhar

by matheuslopers

Mãe, eu tô morrendo
Meu peito tá doendo
E não consigo parar de chorar
Minhas mãos tremem
E não consigo me concentrar
Rezei três ave marias e um pai nosso já
Mas nada disso parar.

Mãe, não me deixa morrer
prometo brócolis comer
e ir para academia todo dia.
Mãe, aquele assunto não sai de minha cabeça
Tô perdendo o foco e só penso em sobremesa
Em comer para preencher o meu vazio
Que se mantém fiel e viril ao meu âmago.

Que aflição, Mainha
Não suporto mais pensar nela todo dia.

Não vou mais amar
Não quero essa doença nunca mais minha vida
Não quero meu sofrer
E doer desse meu peito frágil
Ela foi esperta e ágil fugindo com outro
Ele tem carro, apartamento e dinheiro
Eu só tenho minha carteira vazia e muito amor aqui dentro
No meu centro
Um pouco para cima, mãe
Do lado esquerdo

(No coração?)

Minha dor suplica um afago na barriga
Um beijar na testa
e um dengo gostoso nessa cama dura
e viver na luxúria de você.

Senhor, não me deixa morrer
Só penso em comer.
Essa doença do amor estragou minhas entranhas
Agora sou isso triste, feliz, alegre com saudade
Que estranha todo tipo de gostar que não vem de você
O que eu vou fazer?
Deixa pra lá
O tempo cura
aquele que nele confia e não se preocupa.