Lilith

by matheuslopers

Sou o último triste, escrevendo esses emarados de palavras em agrura.
Lilith, eu entendo você.
Como Lilith esquecido nos versos.
Como Lilith apagado do tempo.
Como Lilith vivendo só.
O primeiro solitário no inferno.

Você consegue me enxergar aqui?
Você consegue ver meu amor, por trás desta capa de solidão?
Por trás de todo meu sofrimento e ferimentos emocionais em putrefação?
Alguém me ajuda aqui?
Não aguento mais sentir.
Inquietação de minh’alma.
A solidão habita bem aqui, no cerne do meu espirito
Neste meu sofrer.

Estou aqui
Consegue daí, de longe, escutar meu rugir?
Cansado de fingir felicidade
de andar por aí arrogante
De contrastar paixões
De embalar romance
E de ser um peregrino invisível em meio essa sociedade.
Escuta meu rugir
e de sua ilhargas deixa eu beber.

Como Lilith me sinto apagado
Ignorado da bíblia católica
Talvez, por amar demais
O mundo e si
E desejar ser feliz
Desnudo
em um civilização caótica.
Lilith, eu sinto você
Ouço sua chama
Entendo seu sofrer.

Senhor, há esperanças?
Senhor, porque tu me abandonastes em meio ao sofrimento?
Estou caindo em pedaços
Não me reconheço no espelho
Não sei quem é aquele miserável pedindo amor e acalento
E quando as luzes me queimarem
serei para sempre eu na escuridão do não existir
Sentir o mundo escarrando em mim
Um virgem queimando no seu fim.

Eu vi as escrituras
e do amor o mundo foi criado
Quero me sentir amado
e o infinito ser apenas o próximo passo com você, meu bem.
Alguém escuta meu clamor
Estou pedindo mais amor
sorrisos e cafuné ao entardecer.
Veja, querido.
A estrela brilhando sobre mim
sozinha e triste esperando o seu fim.
Eu me sinto assim.
Melancolia, depressão e tristeza fazendo parte de mim.
Fingindo alegria
Fingir sorrir.
Suicídio é o fim.

Esperando alguém para abraçar
e o universo fazer sentido.
Esperando o medo passar
Você sorrir para mim
Será que vou aguentar?
Buscando a sinceridade na simplicidade de está com você.
Estou aqui
sozinho
vem aqui e me ajuda a superar minha solidão.
Como Lilith preso no inferno dentro de mim
Sozinho e sem saber como sair.
A morte é inicio do meu amar.
Suicido é meu adeus.
Alguém me tira daqui?
Do fim.