A misantropia da benevolência

by matheuslopers

Deito em minha cama,
oclusão dos meus olhos,
e vejo seu rosto
sorrindo,
vindo em minha direção.

Tristeza,
solidão,
amargura,
depressão
não tem vez na seleção

Envolto do meu lençol do batman,
anseio pela realidade,
em meio a minha miragem,
você é meu Éden no deserto,
anseio que seja veras.

Tristeza,
consternação,
desalento,
abatimento
não tem vez na seleção.

Mas, de que adianta,
sou mesmo essa anta,
vivendo de faz-de-conta,
enquanto rastejo no jardim do mal.

Se ao menos você voltasse,
sobre sua vida falasse,
e eu, seus livros pudesse carregar.
Se ao menos a vida me contemplasse
com mais uma de suas aquiescência,
e talvez,  minhas inadimplências
estariam perdoadas.

Tudo que requiro é um pouco de concórdia,
e você ao meu lado.
Tudo que anseio é uma cerveja,
e seus amplexos apertados.
Tudo que preciso é de sua ilhargas
sobre o meu regaço.

Pele,
lábios,
tesão,
ventura,
riso discreto e
clímax
tudo isso tem vez na seleção.